sábado, 28 de maio de 2011

(2) Será que, ao reinventarmos eventos de nosso passado de maneira ficcional, dando um verniz simbólico e apinhado de metáforas e simbolismos, fazendo com que nossos avatares transcendam a mera representação de nós mesmos, criaremos BOAS histórias?

(2) Será que, ao reinventarmos eventos de nosso passado de maneira ficcional, dando um verniz simbólico e apinhado de metáforas e simbolismos, fazendo com que nossos avatares transcendam a mera representação de nós mesmos, criaremos BOAS histórias?

Answer here

2 comentários :

  1. Não e Sim. A mesma premissa pode render histórias fabulosas ou merdas trancendentais e fumegantes espirrando do penico de Vulcano.

    Não importa a origem do material deglutido para gerar o mito, mas a qualidade o produto final que será contado ao redor da fogueira.

    Mas para estar em sintonia com nosso mundo informacional,resumindo a um número num infográfico, diria que a chance de sair algo bom é 5%,pois são poucos os que conseguem lidar com simbolismos, representações do eu, metaforas e outros parangolés.

    Geralmente resulta num troço confuso,ou egolatra/pretencioso, ou tudo isso.

    O difícil é ser simples.
    Mas 5% é ainda chance maior do que oferece a megasena.
    Tentar não custa nada... além de tempo.

    ResponderExcluir
  2. E tempo é um bem precioso que tem me feito me segurar sem conseguir responder decentemente ao seu comentário.
    Ainda que tempo para fazer as coisas você não ganha, você OBTÉM para si mesmo!

    ResponderExcluir

Elogio ou crítica? nunca censuro nada, mas... não ABUSE! hehehe