sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Destrambelhando o mangá (1)

Emulando os grandes sucessos de mangá dos anos 90 (1)



Um moleque bandidinho assalta um nerd e além de levar os valores, leva uns mangazinhos. O bandidinho vai pro seu esconderijo, avaliar o que consegue com o butim. Acende um baseado, pega um gibi e começa ler. E lendo, dá risada das fantasias de RPG que tem nada a ver com a realidade das coisas, exceto pelos videogames da internet da lan house e um ou outro game de Playstation que joga de vez em quando.

Aí ele vai ficando muito alucinado com a maconha, e afunda mais ainda no universo daquele textinho passatempo... até que se dá conta que não está mais no muquifo dele, e sim numa putzgrila dum ALTAR, cercado de um monte de gente vestida que nem nas porcarias das revistas, parecia que estavam fazendo algum tipo de invocação maluca, e pelo tom da conversa entre eles, estavam querendo convocar um grande e lendário guerreiro, e emerge a porcaria de um moleque, PELO MENOS armado de um três-oitão, navalha e uma metranca com algumas balas.

O moleque acha isso tudo uma grande porcaria e quer voltar pra casa (ele acha que tá viajando demais por causa do "beise" - nem quando experimentou coca ele pirou daquele jeito). Aí é uma confusão dele dando tiro pro chão pros "cosplayers-pra-valer" se ligarem que ele PODE e saírem da frente, e uma porcaria de uma guerreirinha cisma de encarar a fera.

Como a mina é bonitinha o nosso herói quer evitar balaço na cara da vagabunda, porém, ela é muito boa com a espada, o que faz ele sair correndo escadaria abaixo pelo que parece ser uma torre de castelo. Na perseguição, eles acabam ficando sozinhos numa sala que parece um tipo de depósito de poções, e com os potes quebrados ela se enche de vapores...

A mina, desacostumada com alteradores-de-percepção-da-realidade, fica bamba, e o nosso amigo já chapado tem simplesmente um efeito colateral: O DELE fica DURO (pombas, isso nunca acontece quando ele fica maconhado). Resultado, menos uma guerreira virgem naquele mundo mágico. Tadinho do "noivo-prometido" dela!...


Estas são as aventuras de
JAHIR DO MORRO DO ESCULACHO